Marque uma Consulta

Fale Conosco e Marque sua Consulta

Telefone:
(31) 99941-4140

E-mail:
contato@dramariaalicepsiquiatra.com.br

Tratamento Depressão Belo Horizonte

Atualmente, muitas pessoas usam o termo “depressão” como sinônimo de tristeza. Quando alguém está passando por uma situação difícil ou sofreu uma perda, é comum ouvir dizer-se que a pessoa está “deprimida”. Quando falamos de depressão como uma enfermidade médica, contudo, estamos falando de algo muito diferente da tristeza normal!

A “depressão” médica é um quadro de afeta não somente nosso humor, mas também vários sistemas biológicos do nosso corpo, como o nível de energia, o ritmo de sono e apetite, a maneira como raciocinamos e tomamos decisões e, até, nossa própria capacidade de sentirmos prazer com as coisas importantes de nossas vidas.
É uma doença muito debilitante, afeta a capacidade de trabalhar e lidar com os desafios do dia-a-dia. Trata-se da segunda maior causa de perda de capacidade para o trabaho, ficando atrás somente das doenças cardíacas.

Fatores de Risco e Causas da Depressão

Todos podem apresentar um episódio depressivo em algum momento. Cerca de 15 a 20% da populaçao mundial pode apresentar esse quadro em alguma época de suas vidas. Só no Brasil, são mais de 38 milhões de pessoas atingidas.
A depressão acomete indivíduos de qualquer idade, sendo que a faixa etária de 20 a 50 anos é a mais comum. Não existe uma causa única para depressão. Normalmente, existe uma predisposição biológica, genética para o transtorno, que se soma à história de vida e aos fatores estressores atuais que a pessoa passa.
Alguns fatores de risco para o desenvolvimento de quadros depressivos:
– Parentes de primeiro grau com depressão;
– Diabetes;
– Problemas cardíacos;
– Níveis elevados de colesterol;
– Doenças auto-imunes;
– uso de álcool ou outras substâncias psicoativas de abuso.

Sintomas da Depressão

A presença de um quadro depressivo indica que a pessoa está com uma diminuição global de todo o funcionamento psíquico O humor está diminuído, deprimido, existe um sentimento de tristeza, as vezes diferente da tristeza normal. A auto-estima está muito prejudicada. Surge, muitas vezes, um grande sentimento de culpa. Muitas pessoas deprimidas acabam por se sentir um “peso” para suas famílias.
A capacidade de sentir prazer é um dos aspectos mais afetados no quadro depressivo. Atividades que antes eram muito estimulantes e prazerosas se tornam “sem graça”. O mundo perde seu colorido. É muito comum a ocorrência de sentimentos de “aperto”, “peso”no peito.
O sono e o apetite estao alterados, podendo estar tanto aumentados como diminuídos.
Em meio a tanto sofrimento, alguns podem apresentar um desejo que a morte venha.
Critérios para Episódio Depressivo, segundo a Classificação Internacional das Doenças da Organização Mundial da Saúde, 10a ediçao:

Sintomas fundamentais da Depressão:
•    Humor deprimido;
•    Perda de interesse;
•    Fatigabilidade.

Sintomas acessórios da Depressão:
•    Redução da concentração e da atenção;
•    Diminuição da autoestima e da autoconfiança;
•    Ideias de culpa e inutilidade
•    Visões desoladas e pessimistas do futuro;
•    Ideias de suicídio, ou atos autolesivos ou suicídio;
•    Perturbação do sono;
•    Diminuição do apetite.

É importante notar que esse quadro é muito diferente de um sentimento de tristeza ou desânimo que temos no nosso dia-a-dia. O indivíduo não tem culpa por se sentir dessa forma e, muitas vezes, não consegue sair desse estado sozinho. Isso não indica fraqueza ou falta de “força de vontade”. É um condição médica que necessita de tratamento!

Quadros de depressão possuem tratamento e podem chegar à remissão.

O primeiro passo para o tratamento é um diagnóstico preciso. Não existe nenhum exame de sangue ou neuroimagem que faça o diagnóstico de depressão. Porém, muitas vezes esses exames são solicitados para exluir que haja outras doenças causando ou perpetuando os sintomas depressivos.
O diagnóstico é feito pela avaliação clínica. O ideal é a avaliação de um especialista, no caso, um psiquiatra com formação adequada e experiência clínica.

O tratamento envolve psicoterapia e medicações antidepressivas.
Nem todos os casos necessitam de medicação. Quadros leves podem ser tratados com acompanhamento psicoterápico e observação da evolução.

Quando os medicamentos são necessarios, o ideal é que eles sejam prescritos nas menores doses e pelo menor tempo possível, desde que sejam eficazes.
As medicações antidepressivas não causam dependência, os efeitos colaterais dos medicamentos mais modernos tendem a serem leves e passageiros. O objetivo do tratamento é sempre a melhoria de todos os sintomas, ou seja, a recuperação total do indivíduo.

Quando o tratamento é feito por especialistas experientes, os indices de remissão, ou seja, recuperação total dos sintomas, podem atingir 70 a 80%.
Existem outras modalidades de tratamento diferentes da psicoterapia e do uso de medicações e muitas vem sendo estudadas e desenvolvidas. É importante consultar um psiquiatra para realizar uma avaliação e indicar as melhores opções de tratamento para cada pessoa.

Tratamento depressão em bh

 

Marque uma consulta